sexta-feira, agosto 27

Juan Andrés Salfate - HAARP e o terremoto no Haiti

Juan Andrés Salfate - HAARP e o terremoto no Haiti
"Así somos" é um programa de televisão chileno transmitido pelo canal La Red desde outubro de 2005, de segunda a sexta-feira por volta da meia-noite. Com o slogan "Um olhar diferente", o programa baseia-se no parecer de especialistas sobre temas como notícias, curiosidades e eventos importantes do dia no Chile e do mundo.

Às quartas-feiras, Juan Andrés Salfate conduz "Conspirações", seção onde se analisam as teorias da conspiração que proliferam no ciberespaço.

Neste programa, Salfate investiga a afirmação da Rússia de que o terremoto ocorrido no Haiti em 12/1/2010 tenha sido causado por armas produzidas pelo projeto HAARP.

O projeto HAARP (High Frequency Active Auroral Research Program, Programa de Investigação de Aurora Ativa de Alta Frequência) é uma investigação financiada pelas forças armadas estadunidenses e pela Universidade do Alasca para, oficialmente, "entender, simular e controlar os processos ionosféricos que poderiam mudar o funcionamento das comunicações e sistemas de vigilância".
Parte 1


Parte 2

Vozes do inferno

Tudo teria acontecido na Sibéria, em 1989, num lugar indeterminado e sem nome: perfuratriz encontra o inferno! Como sempre ocorre nessas histórias estapafúrdias, o local da ocorrência fica muito longe o que impede as pessoas de irem até lá confirmar o fato.
O lugar chamado Sibéria fica na Rússia, é muito frio e corresponde a cerca de 77% do seu território. (É lá que fica a cidade de Irkutsk, a cidade mais fria do mundo.)
Por motivos não esclarecidos na mensagem – se buscavam petróleo ou outra coisa –, eles usavam uma poderosa perfuratriz e já estavam com a broca a 14.000 metros de profundidade. De repente, a broca deixou de encontrar resistência e começou a girar livremente. Os geólogos imaginaram haver encontrado um bolsão oco: o centro da Terra.

O Dr. Azzacove ou Azzacov, conforme a versão, cientista conhecido apenas pelo enorme buraco que teria cavado no chão da Sibéria, ficou surpreso com a descoberta.

Segundo o relato, aos 14.000 metros de profundidade a temperatura encontrada foi de 2.000 graus Fahrenheit (1.093 graus Celsius). Apesar de tanto calor, os cientistas conseguiram introduzir, através da sonda, um microfone e ficaram pasmos com o que escutaram.

Só pra início de conversa: se houvesse geólogos nessa história, eles saberiam que o diâmetro do nosso planeta é de bem mais de 28 km. Os 14 km supostamente atingidos, portanto, nada significariam diante do diâmetro da Terra que é de 12.756 km.

Ao analisar as fitas gravadas com os estranhos sons os cientistas ouviram gritos horríveis. Eram vozes pedindo água e misericórdia.
Mais "estudos" e logo eles interpretaram os sons como sendo gemidos e lamentos das almas dos ímpios, almas penadas, almas condenadas ao fogo eterno. E onde estariam essas almas penadas, condenadas, perdidas e recém-achadas?

Tudo foi publicado por um conceituado (!) jornal finlandês de nome Ammennusatia, Ammennusastia ou Ammenusastia. Ao procurar no Google por esse famoso jornal, ele aparece apenas nas referências ao enorme buraco que teria chegado até o inferno.

* tanto o nome do geólogo responsável pelo buraco, o Dr. Dmitri Azzacove ou Dmitri Azzacov como o nome do jornal finlandês eles apenas são conhecidos por conta da suposta descoberta;