segunda-feira, outubro 25

Um Único Juízo Final

Um Único Juízo Final
Rev. Ronald Hanko

Tradução: Felipe Sabino de Araújo Neto

dizer sobre o dia do juízo do que sobre qualquer outra coisa. Olhemos
brevemente para esse testemunho.
Primeiro, a Escritura ensina que há apenas um juízo. Os julgamentos
das ovelhas e bodes (Mt. 25:31-46), do grande trono branco (Ap. 20:11-15), e
de outros julgamentos mencionados na Escritura, não são julgamentos
diferentes, acontecendo em diferentes tempos da história, mas são todos um e
o mesmo juízo público e final.
Certamente, há um certo julgamento que acontece durante toda a nossa
vida e na nossa morte, mas estamos falando aqui do juízo público e final de
todo homem, anjo e demônio. Há somente um juízo desse tipo, não muitos,
como alguns ensinam (as notas da Bíblia de Estudo Scofield ensinam sete).
Não é o nosso propósito refutar em detalhe as alegações dos
dispensacionalistas e pré-milenistas com respeito aos múltiplos julgamentos.
Daremos apenas um exemplo para mostrar o tipo de argumento frágil que é
usado para apoiar tal ensino.
É dito que o julgamento de Mateus 25:31-46 é um julgamento que
precede o fim do mundo em mil anos e um julgamento das nações então
existentes em relação a Israel. Essas nações, é dito, são julgadas somente com
respeito ao tratamento delas para com Israel durante os tempos precedentes a
esse julgamento.
Contudo, a Escritura não fala de nações existentes em Mateus 25, mas de
todas as nações (v. 32), e mostra claramente que esse julgamento não é de
nações, mas de cada indivíduo e de acordo com as obras dessa pessoa, assim
como o julgamento de Apocalipse 20. Mateus 25:46 fala de julgamento eterno
e de vida eterna, como as outras passagens que falam do julgamento final.
Esse julgamento segue a vinda do Filho do homem em sua glória, uma
vinda também descrita em Mateus 24:30,31, que ocorre ao soar de uma trombeta.
Essa trombeta é a trombeta final mencionada em 1 Coríntios 15:51,52, 1
Tessalonicenses 4:14-17 e Apocalipse 11:15-18. De acordo com Mateus
24:29,30, essa vinda de Cristo, que é anunciada pelo escurecer do sol e da lua,
é com as nuvens e visível a todos os olhos – fatos que descrevem a aparição
final de Cristo no final dos tempos (2Pe. 3:10-17; Ap. 1:7; Ap. 6:12-17).
Contudo, a prova mais clara de um julgamento final é encontrada no
ensino da Escritura de que todos serão julgados quando Cristo retornar, não
alguns agora e outros depois (João 5:28), e que há apenas um único julgamento,
não julgamentos (Mt. 5:21,22; Mt. 12:41,42).
É importante crer nisso? Cremos que sim, não somente porque isso
está associado à nossa visão de Israel, da ressurreição e da vinda de Cristo,
mas também porque é para esse julgamento, e esse somente, que devemos nos
preparar, em obediência à 2Pe. 3:10-18.

Fonte (original): Doctrine according to Godliness, Ronald Hanko,
Reformed Free Publishing Association, p. 322-23.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentario!